Stock Car: Português vence e faz história, mas não pontua. Entenda

(Vanderley Soares)

(Vanderley Soares)

Resumo do conteúdo

– Daniel Serra, segundo colocado na corrida 2, herda os pontos da vitória, já que o português António Félix da Costa, que venceu, não pode pontuar;

– Bruno Baptista é o novo vice-líder, com 65 pontos e Átila Abreu é o terceiro com 63;

– Gaetano di Mauro, protagonista de acidente espetacular na penúltima volta da segunda corrida, foi liberado do hospital esta manhã. Sem ferimentos;

– Ao final do texto, os resultados atualizados das duas corridas e a classificação geral do campeonato.

VÍDEO: Clique aqui para baixar o resumo das duas provas da Stock Car em Interlagos. Material destinado à criação de conteúdo para emissoras de TV, sites, canais de YouTube e redes sociais, sem restrição. Imagens brutas, portanto não é recomendada sua publicação na íntegra ou sem edição prévia.


O Autódromo de Interlagos vibrou no último domingo (16) com a disputa das duas corridas que compuseram a segunda etapa da temporada 2021 da Stock Car Pro Series. A vitória na primeira prova ficou com Gabriel Casagrande, da equipe A.Mattheis-Vogel, enquanto na segunda o português António Félix da Costa fez história ao tornar-se o primeiro piloto europeu a vencer na principal categoria do automobilismo brasileiro.

Vitória legítima e confirmada do atual campeão da Fórmula E. Entretanto, Da Costa não leva os pontos da vitória por uma simples questão de regulamento. Por não ser filiado à Codasur (Confederação Sul-americana de Automobilismo), o piloto não tem direito aos pontos. Todos os outros pilotos do grid são filiados ao órgão da América do Sul, além da CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo). Como o português foi convidado a correr no início da semana para substituir Ricardo Maurício na Eurofarma-RC – o atual campeão da Stock Car testou positivo para o Covid-19 e não pôde correr -, não houve tempo para que Da Costa pudesse se filiar à Codasur. O fato, no entanto, não o impede de correr; apenas de pontuar.

Assim, mesmo com a vitória confirmada, Da Costa não soma os pontos de nenhuma das duas provas – ele foi nono colocado na primeira corrida. Isso quer dizer que Daniel Serra, segundo colocado na corrida, soma os 24 pontos destinados ao vencedor, e todos os outros pilotos somam pontos como se tivessem terminado uma posição à frente.

Liberado – Protagonista de um acidente espetacular na penúltima volta da segunda corrida em Interlagos, Gaetano di Mauro foi liberado do Hospital Santa Maggiore, em São Paulo, na manhã desta segunda-feira (17). O piloto da equipe KTF Sports disputava a segunda posição com o companheiro de equipe Guilherme Salas e com o tricampeão Daniel Serra. Na entrada da reta dos boxes, em alta velocidade, Gaetano colocou-se entre os dois carros, mas o espaço se fechou e o Chevrolet Cruze decolou em alta velocidade antes de bater na proteção externa da pista.

Di Mauro foi socorrido rapidamente pela equipe médica da Stock Car e levado ao hospital para exames preliminares e passar a noite em observação. Os exames não constataram nenhum ferimento, de acordo com a equipe KTF Sports, e o jovem piloto foi liberado nesta manhã.

A FRAS-LE e a FREMAX são as fornecedoras oficiais de pastilhas e discos de freio da categoria, respectivamente, e trabalham em conjunto com as todas as equipes do grid para assegurar o melhor desempenho, segurança, eficiência e confiabilidade. A Fremax é a fornecedora dos discos desde 2004 e a Fras-le, desde 2016.

Resultado Oficial: Corrida 1
1 Gabriel Casagrande (AMattheis Vogel Motorsport/Cruze) – 19 voltas
2 Allam Khodair (Blau Motorsport/Cruze) a 0.569
3 Bruno Baptista (RCM Motorsport/Corolla) a 9.042
4 Cesar Ramos (Ipiranga Racing/Corolla) a 10.348
5 Átila Abreu (Shell V-Power/Cruze) a 11.355
6 Diego Nunes (Blau Motorsport/Cruze) a 12.998
7 Denis Navarro (Cavaleiro Sports/Cruze) a 14.224
8 Pedro Cardoso (KTF Racing/Cruze) a 16.848
9 António Félix da Costa (Eurofarma-RC/Cruze) a 17.160
10 Galid Osman (Shell V-Power/Cruze) a 17.197
11 Thiago Camilo (Ipiranga Racing/Corolla) a 17.366
12 Rafael Suzuki (Full Time Bassani/Corolla) a 23.874
13 Christian Hahn (Blau Motorsport II/Cruze) a 24.733
14 Guga Lima (AMattheis Vogel Motorsport/Cruze) a 31.761
15 Felipe Massa (Lubrax Podium Stock Car Team/Cruze) a 34.609
16 Ricardo Zonta (RCM Motorsport/Corolla) a 38.183
17 Julio Campos (Lubrax Podium Stock Car Team/Cruze) a 38.731
18 Sergio Jimenez (MX Piquet Sports/Corolla) a 42.183
19 Matias Rossi (Full Time Sports/Corolla) a 43.187
20 Felipe Lapenna (Hot Car Competições/Cruze) a 43.243
21 Tony Kanaan (Full Time Bassani/Corolla) a 47.373
22 Beto Monteiro (Crown Racing/Cruze) a 1 Volta
23 Gustavo Frigotto (RKL Competições/Cruze) a 1 Volta
24 Daniel Serra (Eurofarma-RC/Cruze) a 1 Volta
25 Tuca Antoniazi (Hot Car Competições/Cruze) a 1 Volta
26 Guilherme Salas (KTF Sports/Cruze) a 1 Volta
27 Gaetano di Mauro (KTF Racing/Cruze) a 1 Volta
28 Nelson Piquet Jr (MX Piquet Sports/Corolla) a 1 Volta
29 Lucas Foresti (KTF Sports/Cruze) a 1 Volta
Não completaram
30 Cacá Bueno (Crown Racing/Cruze) a 11 Voltas
31 Marcos Gomes (Cavaleiro Sports/Cruze) a 18 Voltas
Excluído
32 Rubens Barrichello (Full Time Sports/Corolla) a 18 Voltas
Volta mais rápida: Gabriel Casagrande, 1min40s367 (154,5 km/h)

Resultado Oficial: Corrida 2
1 António Félix da Costa (Eurofarma-RC/Cruze) – 19 voltas
2 Daniel Serra (Eurofarma-RC/Cruze) a 2.942
3 Guilherme Salas (KTF Sports/Cruze) a 4.815
4 Ricardo Zonta (RCM Motorsport/Corolla) a 1:54.983
5 Cacá Bueno (Crown Racing/Cruze) a 1:57.795
6 Átila Abreu (Shell V-Power/Cruze) a 1:59.256
7 Felipe Massa (Lubrax Podium Stock Car Team/Cruze) a 2:00.574
8 Denis Navarro (Cavaleiro Sports/Cruze) a 2:01.713
9 Galid Osman (Shell V-Power/Cruze) a 2:03.850
10 Bruno Baptista (RCM Motorsport/Corolla) a 2:04.948
11 Cesar Ramos (Ipiranga Racing/Corolla) a 2:06.572
12 Tony Kanaan (Full Time Bassani/Corolla) a 2:07.931
13 Nelson Piquet Jr (MX Piquet Sports/Corolla) a 2:10.734
14 Diego Nunes (Blau Motorsport/Cruze) a 2:12.376
15 Rafael Suzuki (Full Time Bassani/Corolla) a 2:13.270
16 Thiago Camilo (Ipiranga Racing/Corolla) a 2:17.282
17 Julio Campos(Lubrax Podium Stock Car Team/Cruze) a 2:18.864
18 Allam Khodair (Blau Motorsport/Cruze) a 2:20.947
19 Beto Monteiro (Crown Racing/Cruze) a 2:21.990
20 Tuca Antoniazi (Hot Car Competições/Cruze) a 2:23.330
21 Matias Rossi (Full Time Sports/Corolla) a 2:25.470
22 Gaetano di Mauro (KTF Racing/Cruze) a 2 Voltas
Não completaram
23 Gabriel Casagrande (AMattheis Vogel Motorsport/Cruze) a 8 Voltas
24 Gustavo Frigotto (RKL Competições/Cruze) a 11 Voltas
25 Pedro Cardoso (KTF Racing/Cruze) a 12 Voltas
26 Lucas Foresti (KTF Sports/Cruze) a 16 Voltas
27 Felipe Lapenna (Hot Car Competições/Cruze) a 18 Voltas
28 Christian Hahn (Blau Motorsport II/Cruze) a 18 Voltas
29 Sergio Jimenez (MX Piquet Sports/Corolla) a 18 Voltas
Não largaram
30 Marcos Gomes (Cavaleiro Sports/Cruze)
31 Rubens Barrichello (Full Time Sports/Corolla)
Excluído
32 Guga Lima (AMattheis Vogel Motorsport/Cruze)
Volta mais rápida: Daniel Serra, 1min40s665 (154,0 km/h)

Vencedores até o momento na temporada:
Goiânia:
Daniel Serra e Ricardo Maurício
Interlagos: Gabriel Casagrande e António Félix da Costa

Classificação do campeonato, após a segunda etapa:
1. Daniel Serra – 68 pontos
2. Bruno Baptista – 65
3. Átila Abreu – 63
4. Cesar Ramos – 62
5. Denis Navarro – 58
6. Gabriel Casagrande – 56
7. Thiago Camilo – 47
8. Cacá Bueno – 46
9. Galid Osman – 45
10. Diego Nunes – 40
11. Guilherme Salas – 39
12. Allam Khodair – 37
13. Gaetano di Mauro – 34
14. Ricardo Zonta – 32
15. Rafael Suzuki – 31
16. Ricardo Maurício – 29
17. Pedro Cardoso – 27
18. Felipe Massa – 22
19. Julio Campos – 20
20. Lucas Foresti – 17
21. Christian Hahn – 13
22. Tony Kanaan – 11
23. Nelsinho Piquet – 9
24. Guga Lima – 8
25. Sérgio Jimenez – 6
26. Matías Rossi – 4
27. Beto Monteiro – 3
28. Rubens Barrichello – 3
29. Gustavo Frigotto – 2
30. Felipe Lapenna – 2
31. Tuca Antoniazi – 1
32. Marcos Gomes – 1
33. Max Wilson – 0

Sobre a FRAS-LE:

No mercado há mais de seis décadas e uma das cinco maiores fabricantes mundiais de materiais de fricção, a Fras-le, que faz parte das Empresas Randon, é uma marca reconhecida globalmente. Com mais de 12 mil referências  nas marcas FRAS-LE & Lonaflex, a empresa coloca ao alcance do consumidor uma linha completa de produtos de fricção da mais alta qualidade, desenvolvidos e testados em seu Centro de Pesquisa e Desenvolvimento, um dos  mais bem equipados do mundo, que conta com laboratórios químico, físico, piloto e o Centro Tecnológico Randon, um centro de testes por excelência.

 A empresa expandiu seu portfólio com a aquisição, em 2012, da Controil, que fabrica componentes para freios e embreagens e polímeros automotivos. Em 2018, mais 2.500 referências com a marca FREMAX foram incorporadas ao mix de produtos da FRAS-LE, com a aquisição da empresa, que produz discos, tambores de freios e cubos de roda.  

Desde 2016, a Fras-le é a fornecedora oficial das pastilhas de freio dos carros da Stock Car, Stock Light e Mercedes-Benz Challenge.  A FREMAX, desde 2004,  também é a fornecedora oficial dos discos de freio da Stock Car,  assim como das categorias Stock Light, Mercedes-Benz Challenge, Porsche GT3 Cup, Sprint Race e Old Stock

Recentemente, a FRAS-LE concluiu a aquisição da Nakata Automotiva que, dentre os principais itens estão amortecedores, terminais e barras de ligação e direção, pivô e bandejas de suspensão, juntas homocinéticas, componentes de eixos cardan e diferencial.

FRAS-LE
Site: www.fras-le.com
Facebook: @FrasleOficial
Instagram: @frasleoficial

FREMAX:
Site: www.fremax.com
Facebook:@FremaxBrasilOficial
Instagram: @fremaxbrasil

 

Para mais informações
Cleber Bernuci – P1 Media Relations
imprensa@p1media.com.br – (19) 992 222 517

Roberta Duarte – Fras-le FREMAX
roberta.duarte@fras-le.com



Segunda etapa da temporada 2021 foi disputada no final da manhã deste domingo (16) na capital paulista. Gabriel Casagrande venceu pela primeira vez na temporada e o português António Félix da Costa, que substitui Ricardo Maurício na Eurofarma-RC, venceu a segunda



Na Stock Car, paranaense marcou sua primeira pole position no ano – a quarta da carreira – ao superar o tempo de Allam Khodair, um dos aniversariantes do dia, por apenas cinco milésimos de segundo



Tradicional circuito paulistano requer todos os itens de um carro bem acertado: velocidade de reta, frenagens fortes e bom contorno de curva. Pista que reúne características diversas como trechos de alta velocidade e partes bastante travadas



Diversas punições, por variadas infrações, mudaram o resultado das duas corridas do fim de semana após longas análises dos comissários desportivos da entidade que rege o automobilismo brasileiro. As vitórias de Daniel Serra e Ricardo Maurício foram mantidas

Imagem WEB
Imagem ALTA

TV Cross Brasil

No Banner to display