Ford expande o serviço de transporte médico não emergencial com vans nos EUA

A Ford anunciou mais um passo na expansão dos seus negócios na área da mobilidade nos Estados Unidos, com a ampliação do serviço de transporte médico não emergencial GoRide Health para todo o país. A empresa, iniciada como startup no ano passado no estado de Michigan, oferece vans com motoristas treinados para levar idosos, cadeirantes e pacientes com problemas de mobilidade para consultas e tratamentos médicos – veja o vídeo.
Até o final do ano, o serviço deverá estar disponível nas principais cidades de Ohio e da Flórida, realizando milhares de viagens por dia. E será expandido em 2020 para vários outros estados, como Carolina do Norte, Louisiana, Texas e Califórnia.
O primeiro ano de funcionamento da empresa serviu para o conhecimento do mercado e aperfeiçoamento do sistema. A reputação da GoRide Health como serviço confiável, seguro e de qualidade, com um índice de 95% de pontualidade no primeiro trimestre do ano, atraiu a atenção dos grandes convênios médicos.
“A GoRide Health está ganhando força porque é um serviço confiável e centrado no ser humano, para pessoas cujas vidas dependem das consultas médicas”, diz Minyang Jiang, CEO da GoRide Health. “Mesmo sendo uma necessidade crítica e crescente, a maioria dos pacientes não consegue encontrar transporte confiável com motoristas que entendam suas necessidades. A GoRide Health pode preencher essa lacuna.”
Além de atender convênios médicos nos EUA, a GoRide Health também começa a atuar em parceria com órgãos municipais que fornecem transporte para cidadãos cadeirantes ou com necessidades especiais. Todos os seus motoristas são treinados e habilitados para auxiliar os passageiros com segurança.
A GoRide usa a tecnologia de roteamento dinâmico da Ford para realizar despachos automáticos e garantir a eficiência das viagens, com tempos médios de espera de 10 a 20 minutos, mesmo para o transporte de cadeira de rodas. Ela também usa a análise de dados para ajudar os administradores a identificar as áreas carentes de transporte e direcionar os serviços para onde eles são mais necessários.