Manobras de Pedro Nougalli ganham destaque no Duelo de Motos

Visualmente impactante. Resumo da participação de Pedro Nougalli no Duelo de Motos. O campeonato de freestyle motocross realizado domingo (12), em Atibaia (SP), contou com os melhores pilotos da América Latina. E mesmo encarando concorrentes tão fortes, o piloto de 23 anos destacou-se pela qualidade das manobras disparadas numa das pistas mais desafiadoras já vistas no Brasil. Desempenho que o levou à terceira posição na classificatória e ao sexto posto na final.

O impacto visual de Nougalli é resultado de manobras exclusivas, complexas e repletas de estilo. Combinação exemplificada no mcmetz, quando Nougalli passa as pernas entre os braços e solta-se da moto para retornar à pilotagem. E do deabody, no qual estende o corpo totalmente à frente da moto enquanto vira a cabeça para trás.

Associado à qualidade das manobras, está a pilotagem precisa. Desenvolvida nas corridas de motocross por anos a fio. Capacidade esta convertida em vantagem competitiva ao colocar na pista saltos fluídos, até nos trechos mais desafiadores, como a sequência de dois saltos. Ambos com lançamento e recepção de terra.

“Acredito que o ponto forte das minhas apresentações foram as manobras difíceis nos lançamentos de terra. Consegui realizar o mcmetz no primeiro salto da sequência. Soltei-me da moto e a peguei para o segundo salto da linha. Apostei na consistência. No estilo. Consegui ótimas extensões e fluir bem pela pista”, analisa Nougalli.

A percepção de Nougalli é sustentada pela reação do público. Além das 15 mil pessoas que lotaram o Centro de Convenções de Atibaia, o Duelo de Motos foi transmitido, ao vivo, pela Rede Globo durante o Esporte Espetacular. Exposição que gerou muita interação entre o piloto e os fãs nas redes sociais.

“Recebi muitos comentários. De gente de todo o Brasil. As redes sociais ‘bombaram’. E tudo foi uma ótima exposição para os meus patrocinadores”, destaca o piloto.

Agora, Pedro Nougalli retorna a Natal (RN), onde integra o freestyle motocross aos espetáculos do Le Cirque Amar. Além de empolgar o público que costuma lotar as sessões do circo francês, o piloto tem outro objetivo na ponta da língua: “acrescentar novas manobras ao repertório”.