Grande Prêmio de Fórmula 1 de Mônaco 2016

A Equipe Renault Sport de Fórmula 1 foi confrontada com dois abandonos, em um Grande Prêmio de Mônaco especialmente movimentado. Após largar sob a atuação do carro de segurança, Kevin Magnussen tinha uma corrida promissora pela frente, trocando rapidamente seus pneus chuva por intermediários. Sua atuação foi arruinada pelo ataque incompreensível de Daniil Kvyat, mas o piloto dinamarquês conseguiu continuar até decidir pelo abandono, após novo contato com as grades. A corrida de Jolyon Palmer foi muito mais curta. Na sétima volta, ele aquaplanou na linha reta de largada e terminou nas grades de proteção da curva Sainte-Dévote.

– Kevin largou na 16ª posição, com pneus de chuva Pirelli. Ele passou para pneus intermediários na 7ª volta, antes de ser obrigado a uma parada adicional após uma colisão com Kvyat (21ª volta). Continuando com uma nova asa dianteira e novos pneus intermediários, ele parou novamente na 29ª volta para passar para pneus supermacios novos. Na 32ª volta, ele voltou para os boxes para trocar novamente de asa e colocar pneus ultramacios novos. Ele abandonou uma volta mais tarde.

– Jolyon largou em 18º lugar com pneus de chuva Pirelli. Vítima de aquaplanagem, ele foi obrigado a abandonar na 7ª volta, após colidir com as grades de segurança.

Kevin Magnussen – R.S.16-02 nº 20 – Largada: 16º – Corrida: abandono
“Fizemos um bom início de corrida, especialmente com nossa estratégia de passar para pneus intermediários logo após o período de atuação do carro de segurança. Fomos os primeiros a fazer isso, o que se mostrou como a melhor opção. Estávamos em uma boa situação e conquistamos várias posições enquanto os outros passavam pelos boxes. Infelizmente, o Kvyat perdeu a cabeça e veio com tudo para cima de mim. Naquela hora, a corrida já tinha acabado para mim, mas mesmo assim continuei e tentei mudar o jogo trocando os pneus para o tipo slick – não tínhamos mais nada a perder. Porém, acabei colidindo contra o muro e danifiquei novamente a asa dianteira. Eu já estava a várias voltas de diferença do líder, com um carro que sofria; por isso, achei mais sensato abandonar. É uma pena não ter tido um fim de semana melhor, pois estávamos otimistas para esta corrida. Agora devemos focar no Canadá e esperar um fim de semana melhor. Devemos tirar partido das recentes evoluções realizadas no carro em Montréal”.

Jolyon Palmer – R.S.16-03 nº 30 – Largada: 18º – Corrida: abandono
“A motricidade estava insuportável após a atuação do carro de segurança e acabei me dando mal. Aquaplanei em quinta marcha, quando passava por uma faixa branca. Não pude fazer nada, e acabei virando passageiro em um carro que foi parar direto no muro. Evidentemente já sabíamos que estas áreas pintadas são bastante escorregadias, mas elas estão por toda parte por aqui. Fiquei decepcionado, pois já tive bons resultados neste circuito anteriormente. No entanto, já estou pensando no Canadá para deixar este fim de semana para trás. Devemos focar na próxima etapa, esperando ter um resultado melhor”.

Frédéric Vasseur, Diretor de Competições
“Este fim de semana foi difícil para nossos dois carros. A corrida de Jolyon terminou na linha reta, quando a corrida estava começando pra valer. A batida foi bem violenta, a uma velocidade elevada, e isso pôs fim à atuação dele. Não havia mais nada a fazer. Em relação ao Kevin, ele pediu para passar para pneus intermediários logo no início – o que foi uma boa decisão – mesmo sendo obrigado a se virar com o pelotão durante algumas voltas. Mas a corrida dele foi arruinada pelo incidente com o Kvyat. É uma pena, pois ele tinha chão pela frente, tendo em vista a posição em que ele se encontrava e nossa estratégia diferenciada em relação aos outros. Seja como for, vamos agora estancar as feridas e nos concentrar no Canadá”.