Balanço do GP do Japão

Motorizada pela Renault, a Escuderia Toro Rosso teve seus dois carros acumulando pontos no Japão. Max Verstappen cruzou a linha de chegada em nono, uma posição à frente de seu companheiro de equipe Carlos Sainz.

A Infiniti Red Bull Racing teve uma corrida mais difícil. Tendo largado dos boxes, Daniil Kvyat soube explorar uma estratégia de paradas antecipadas e conseguiu terminar em 13º. Vítima de um pneu furado logo no início da prova, Daniel Ricciardo terminou em 15º.

Pontos altos da corrida:

Tendo ficado entre os dez primeiros na primeira metade da corrida, Carlos Sainz perdeu posições ao ter problemas com a asa dianteira, o que exigiu a troca do componente. Em seguida, o espanhol conseguiu subir para a nona posição, mas foi ultrapassado por Verstappen na volta de número 45, terminando em décimo.
Max Verstappen fez uma excelente largada, onde ocupava o 17º lugar, misturando-se em seguida aos carros da Sauber e da McLaren depois de seu primeiro pit stop. Sua manobra sobre Alonso permitiu que ele se juntasse aos dez primeiros, antes de partir para cima de Sainz nas últimas voltas.
Apesar de largar dos boxes devido a um acidente nos treinos classificatórios, Daniil Kvyat conseguiu subir para 13º, graças ao uso de uma estratégia criativa.
Depois de colidir na primeira curva, Ricciardo e Felipe Massa foram vítimas de pneus furados. A parada do australiano fez com que ele se atrasasse em uma volta, o que não pôde ser recuperado. Ele terminou em 15º, depois de ultrapassar os dois carros da Manor e Button.

Comentários de Rémi Taffin, Diretor de Operações:

Estes pontos representam um bom resultado para a Toro Rosso. Max e Carlos conseguiram brigar com vários carros antes de partir para um duelo. Infelizmente, a Red Bull teve uma prova bem ruim, mas não houve problemas de confiabilidade e conseguimos economizar motores para as próximas provas. Esperamos assim que a Rússia seja mais acolhedora em relação às nossas equipes.

Comentários de Cyril Abiteboul, Diretor Geral:

O resultado de hoje foi insípido. Sabíamos que as posições no grid tornariam a prova mais difícil, e tivemos condições de explorar cada oportunidade. De maneira geral, as unidades de potência se comportaram bem. Se conseguirmos melhorar nossas posições no grid da Rússia, provavelmente teremos uma ideia melhor de sua verdadeira performance a esta altura da temporada.