BALANÇO DO GP DE CINGAPURA

Motorizado pela Renault, Daniel Ricciardo conquistou seu terceiro pódio da temporada para a Infiniti Red Bull Racing. O australiano terminou o GP de Cingapura na segunda posição, a menos de 2 segundos do vencedor Sebastian Vettel. Seu companheiro de equipe Daniil Kvyat terminou em sexto após uma corrida bastante longa, disputada sob os holofotes de Marina Bay.

Max Verstappen e Carlos Sainz – a dupla da Escuderia Toro Rosso – permitiram que a Renault fosse bem-sucedida neste domingo, ficando em oitavo e nono lugares. Com este resultado, os quatro carros motorizados pela Renault terminaram a prova acumulando pontos.

PONTOS ALTOS DA CORRIDA:

Daniel Ricciardo terminou na mesma posição ocupada no grid – segundo lugar – tendo ficado colado na traseira de Sebastian Vettel durante toda a prova.

Seu companheiro de equipe Daniil Kvyat largou em quarto, mas não teve sorte ao fazer as paradas pouco antes das interrupções do carro de segurança. Com isso, ele perdeu posições em cada parada, ficando atrás dos carros da Mercedes e da Williams de Bottas e cruzando a linha de chegada em sexto.

A Escuderia Toro Rosso terminou a prova com seus dois carros acumulando pontos. Após ter tido uma falha na volta de largada, Max Verstappen fez de tudo para recuperar o tempo perdido. Aproveitando as duas interrupções de prova, subiu para a 12ª posição na volta de número 39 e conseguiu ficar entre os 10 primeiros ultrapassando os carros da Lotus, graças a ultrapassagens espetaculares. O piloto terminou a prova a menos de um segundo do sétimo lugar de Sergio Perez.

Carlos Sainz largou em 14º e já estava em 12º ao final da primeira volta. Lutando pelos pontos, o piloto perdeu tempo nas paradas no box, mas graças à sua garra na pista conseguiu terminar logo atrás de seu companheiro de equipe.

Comentários de Rémi Taffin, diretor de operações:

“Cingapura é um circuito difícil de administrar, tanto devido ao aspecto de pilotagem como à confiabilidade, mas tivemos um fim de semana sem problemas. Tiramos partido de nossos diferenciais para levar nossos quatro pilotos a conquistarem pontos. Assim, podemos considerar que fizemos um bom trabalho. Havíamos assentado as bases para este resultado em Monza, e é muito bom ver que a estratégia adotada valeu a pena. Agradeço a todos os membros da nossa equipe, pois este resultado demonstra que nunca desistimos. As próximas corridas serão realizadas em circuitos de configurações variadas e, por isso, ainda temos muito trabalho pela frente. Mas estamos confiantes em relação ao nosso potencial”!

Comentários de Cyril Abiteboul, diretor geral:

“Pensávamos que Cingapura seria nossa melhor oportunidade para alcançar um bom resultado. Hoje nossa estratégia foi bem-sucedida, e terminamos a prova com quatro carros acumulando pontos. Apesar de todo o burburinho fora da pista, ficamos concentrados e tivemos uma prova impecável. Com isso, nossas equipes puderam otimizar suas regulagens e performances. Suzuka será um desafio bem diferente, mas estamos com tudo em cima para a segunda parte da temporada. Agora, podemos fazer planos de um futuro próximo mais otimista”.