BALANÇO DO GRANDE PRÊMIO DA MALÁSIA

Disputado hoje em Sepang, o GP da Malásia foi o palco de uma disputa na qual quatro monopostos propulsionados pela Renault terminaram acumulando pontos. Após as 56 voltas de uma corrida intensa, os dois carros da Toro Rosso passaram pela bandeira quadriculada na 7ª e 8ª posições. Logo atrás, os dois carros da Red Bull terminaram em 9º e 10º lugares.

Pontos altos da Corrida:

Levando o carro da Toro Rosso ao 7º lugar, Max Verstappen se tornou o mais jovem piloto da história a marcar pontos no Campeonato Mundial da F1. Tendo largado no grid em 6º, o holandês de 17 anos batalhou durante toda a corrida, enfrentando tanto seu companheiro de equipe como os carros da Williams e da Red Bull. Com várias ultrapassagens ousadas, Verstappen computou seus primeiros pontos nesta segunda prova da temporada.

Carlos Sainz, seu companheiro de equipe na Toro Rosso, também teve um desempenho de destaque. O espanhol se manteve na pista durante a atuação do Carro de Segurança no início da corrida, ficando entre os seis primeiros até a primeira passagem nos boxes. Em seguida, subiu de classificação e chegou ao pelotão, lutando com os carros da Williams e da Red Bull, até sua segunda parada. Ele foi ultrapassado por Verstappen a sete voltas do final da prova, mas se manteve firme à frente dos dois carros da Red Bull até cruzar a linha de chegada.

Já Daniil Kvyat conquistou o nono lugar para a Infiniti Red Bull Racing. O russo ficou colado na traseira de Nico Hulkenberg com sua Force India durante aproximadamente um terço do GP. Ao tentar ultrapassar o piloto alemão, acabou rodando para o gramado. Hulkenberg escapou de uma penalidade, mas prejudicou Kvyat, que saiu perdendo na classificação. Mesmo assim, conseguiu voltar para a 10ª posição antes de ultrapassar seu companheiro de equipe Ricciardo, na 53ª volta.

Daniel Ricciardo cruzou a linha de chegada em 10º, tendo perdido tempo atrás da Force India antes de ser ultrapassado por Kvyat no finalzinho da prova.

Comentários de Rémi Taffin, Diretor de Operações:

“Ter quatro carros conquistando pontos na chegada de uma das provas mais difíceis do ano é a prova do trabalho fenomenal feito em Viry nas duas últimas semanas. Melhoramos em termos de ‘dirigibilidade’, e os pilotos puderam explorar o potencial de seus carros. Ainda temos muito a fazer para nos aproximarmos dos líderes do campeonato, mas a performance em termos absolutos pode e será melhorada. Demonstramos nosso potencial e a melhoria da confiabilidade permitirá que nos aproximemos dos melhores em um futuro próximo. Vamos continuar a trabalhar pesado com a Toro Rosso e a Red Bull para desenvolver ao máximo nosso nível de performance. Queremos dar os parabéns a Max pela impressionante corrida e seus primeiros prontos, além de parabenizar Sebastian por sua vitória.”

Comentários de Cyril Abiteboul, Diretor Geral:

“Em Melbourne havíamos dito que deveríamos agir tendo em vista os problemas encontrados, sem cair em uma situação de pânico; este resultado mostra que as medidas preventivas e corretivas tomadas desde o GP da Austrália deram resultado. Em relação aos motores, estamos mais próximos do nível de performance que ambicionávamos ter no primeiro GP da temporada. A confiabilidade também foi globalmente boa – assim como ela deve ser em qualquer circunstância. As melhorias em matéria de ‘dirigibilidade’ permitiram que as escuderias se concentrassem nas regulagens e validassem o verdadeiro nível de performance dos carros. É claro que não queremos terminar a uma volta dos líderes, mas agora temos objetivos mais precisos. A Ferrari fez um excelente trabalho nos últimos meses, o que comprova que a Mercedes pode ser alcançada se todos os elementos-chave forem reunidos. Devemos nos concentrar em nosso trabalho, ter paciência e fazer o máximo a cada vez que nossos carros estiverem na pista.”