F1 – BALANÇO DO GP DA AUSTRÁLIA

O piloto da Infiniti Red Bull Racing Daniel Ricciardo conquistou seus premiers pontos da temporada durante o Grande Prêmio da Austrália, cruzando a linha de chegada em sexto lugar. Entretanto, seu companheiro de equipe Daniil Kvyat teve um início frustrante. O jovem russo não pôde dar a largada após ter sido encontrado um problema na caixa de câmbio durante a volta de formação.

Carlos Sainz e Max Verstappen, pilotos recém-contratados pela de Escuderia Toro Rosso, foram muito bem em sua estreia na Fórmula Um. Após se classificar em sétimo, o espanhol conquistou seus primeiríssimos pontos no campeonato terminando em nono, mesmo com uma parada prolongada nos boxes. Seu companheiro de equipe holandês também quase terminou com pontos, mas um problema técnico depois de sua segunda parada pôs um fim prematuro aos seus esforços.

 

Pontos altos da corrida:

  • Após uma série de problemas e abandonos, apenas 11 carros chegaram a ver a bandeira quadriculada ao final do primeiro Grande Prêmio da temporada.
  • Tendo se classificado em sexto, Daniel Ricciardo manteve a mesma posição durante toda a prova.
  • Daniil Kvyat abandonou na volta de formação devido a um problema na caixa de câmbio.
  • Carlos Sainz ficou em quinto por algum tempo, mas um problema no pneu esquerdo traseiro durante a primeira parada excluiu o piloto do grupo dos 10 primeiros. Depois, o espanhol teve uma bela recuperação e perdeu por pouco o oitavo lugar, após uma ultrapassagem de Marcus Ericsson a duas voltas do final.
  • A corrida acabou para Max Verstappen após aquilo que parecia ser um problema no motor térmico. O jovem holandês abandonou na 34ª volta, perdendo uma chance de acumular pontos.

 

Comentários de Rémi Taffin, Diretor de Operações:

“Desde o início do fim de semana, tivemos que enfrentar vários problemas técnicos, tanto na Red Bull como na Toro Rosso. Primeiro, a confiabilidade apresentou o nível esperado, já que Daniel Ricciardo e Max Verstappen tiveram problemas com o ICE. São problemas isolados e já demos início a um plano de ação para evitar outras falhas deste tipo. Agora, a principal preocupação diz respeito à dirigibilidade, que dificultou a vida dos pilotos ao fazer manobras nas curvas. Estes problemas de cartografia naturalmente penalizaram os cronômetros e nos fizeram perder bons pontos neste fim de semana. A falta de uma solução simples e rápida que pudesse ser implementada durante o fim de semana não significa que a concepção do propulsor tenha que ser revista. Temos muito trabalho pela frente até chegarmos à Malásia, mas nossa motivação para resolver esta questão é nossa prioridade.”

 

Comentários de Cyril Abiteboul, Diretor Geral:

“Foi um fim de semana muito frustrante. Todos sabemos que havíamos feito grandes progressos durante a parada de fim de ano, mas não foi possível mostrá-los neste domingo. Ao contrário, ficamos com a impressão de ter retrocedido. Mas, tendo em vista as rápidas evoluções de nosso motor durante as últimas semanas antes do início desta temporada, a situação pode ser contornada com algumas modificações, permitindo que tiremos total proveito dos desenvolvimentos feitos na parada de fim de ano. Agora temos que reagir, sem cair em excessos, mas mostrando o mesmo know-how que sempre orientou nossa estratégia durante todos estes anos de desenvolvimento de motores na F1. A temporada será longa, mas temos o tempo e os recursos para reagir e deixar rapidamente para trás este início de temporada ruim.”